A Jornada do Estudante de Medicina

A jornada do estudante de Medicina é intensa e extensa no tempo. Entrar na Universidade é um desafio e um sonho, fruto de muito esforço.

Após um vestibular extremamente concorrido, pode até parecer que “os problemas acabaram”. Mas um novo ciclo de desafios e transformações se inicia!

Contar com a experiência daqueles que “já estiveram lá” pode fazer toda a diferença nessa jornada, seja a de um médico já formado ou de um colega veterano.

Veja abaixo o depoimento de uma aluna do 6° ano sobre sua jornada desde que chegou na FMUSP.


Minha jornada como estudante de Medicina

Euforia!

"Temos a sensação de que, ao cruzarmos a porta da faculdade, a felicidade estará nos esperando de braços abertos, avental e esteto no pescoço.

No momento em que vemos nosso nome na lista. Quanta alegria! Quanta paparicação! Parece que nossa vida está quase resolvida.

Contamos os minutos para o início das aulas quando finalmente seremos médicos!"

Murchamos...

"Mas murchamos mais rápido do que poderíamos imaginar.

A vaidade vai sendo substituída pela insegurança e perguntas incômodas começam a emergir em nossas cabeças em meio a nomes de ossos e ciclos bioquímicos.

Será que eu vou ser um bom médico? Será que estou no curso certo?"

Desilusão

"A principal causa desta desilusão é que nossos corações apaixonados pela medicina são partidos pelas matérias básicas.

Claro que elas são importantes, mas somos obrigados a engolir tudo, sem mastigar, para, sem termos digerido, vomitarmos frases feitas em provas insuportáveis."

Solidão

"O ensino que recebemos é bastante compartimentalizado e não nos sentimos à vontade para falar sobre nossos problemas...

O número de alunos na sala é grande e contribui para que nos sintamos peças de um jogo de damas aos olhos dos professores, todos iguais.

Passamos mais tempo com nossos colegas de classe do que com qualquer outra pessoa. Esta amizade tem tudo para crescer e florescer, mas há uma erva daninha que cresce em nossos canteiros: o medo de se expor.

A maioria dos alunos prefere esconder suas angústias e passar uma imagem de que está tudo bem.

Esse clima faz com que nos sintamos sozinhos e com a falsa impressão de que somos os únicos que sofrem..."