Notícias

Milhões de estudantes que realizaram a prova de matemática e ciências da natureza desta edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), aplicada dia 28 de novembro, se depararam com o estudo Demografia Médica no Brasil 2020, realizado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). 

Lançado no final do ano passado, o trabalho foi resultado do Acordo de Cooperação Técnica entre a Universidade de São Paulo (USP) e o Conselho Federal de Medicina (CFM). O estudo atualiza os conhecimentos acumulados na última década e traz novas informações detalhadas sobre a população de médicos e seu exercício profissional.

O enunciado da questão do Enem apresentava um quadro com a evolução do número de médicos e da população brasileira de 1990 a 2010, retirado diretamente do estudo da FMUSP.

“É gratificante a menção do Demografia Médica, conduzido há mais de 10 anos na FMUSP, em questão desta importante ferramenta de seleção para o ingresso nas universidades”, diz o professor Mário Scheffer, que lidera um grupo de pesquisa sobre o tema junto ao Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP.

Além de definir precisamente a demografia médica como “estudo da população de médicos no Brasil nos aspectos quantitativo e qualitativo”, o enunciado pedia uma projeção do número de médicos por habitantes para o ano de 2020, dado que pode ser encontrado na versão completa da publicação.

Para o professor Mário Scheffer, esse é um ótimo exemplo da relevância social das pautas trazidas pelo exame. “Em momento de ataques ao Enem, de ameaças à independência e integridade das questões, é bom ver que estudos científicos e problemas concretos, como a oferta de médicos à população, podem ser incorporados aos enunciados.”

Questão da prova de matemática do Enem 2021
Tabela completa do estudo