Notícias

O problema da ociosidade das vagas em algumas especialidades de Residência Médica, o déficit de especialistas em algumas partes do País, bem como a desistência de aproximadamente 20% dos bolsistas durante o andamento da Residência Médica, foram alguns dos problemas levantados no debate “Qual o futuro da Residência Médica no Brasil? ”, realizado no Teatro da FMUSP, no dia 9 de dezembro.

A criação de programas de fomento para a Residência Médica em algumas especialidades ou para determinadas regiões onde há déficit de médicos foi uma das sugestões apontadas pelos participantes do debate. Outras sugestões correntes foram a necessidade de aumento da remuneração paga ao bolsista, o acompanhamento psicológico e a flexibilização de horas e atividades dos Residentes, além da necessidade de melhoria do Sistema Informatizado da Comissão Nacional de Residência Médica. 

 “Sem dúvida precisamos de uma política de Estado para a questão da ociosidade. Coletamos dados e vamos trabalhar com o Prof. Mário Scheffer [do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP] para realizarmos um levantamento de especialistas de base territorial, de forma a induzirmos programas mais sustentáveis de Residência Médica”, disse o diretor do Departamento de Gestão do Trabalho na Saúde do Ministério da Saúde (MS), Alessandro Glauco dos Anjos Vasconcellos.

O representante do MS concorda que o valor das bolsas pagas aos Residentes precisa ser atualizado. “É muito baixo e de fato sofre uma concorrência desleal frente a outros programas, como o Mais Médicos e o programa que vem pela frente, Médicos pelo Brasil. Há limite orçamentário, mas quem escreve orçamento é a Camada dos Deputados. Então acredito que isso pode ser revisto a partir de uma propositura de mudança”, disse Vasconcellos.

A secretária executiva da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), Viviane Cristina Peterlle, participou por videoconferência online. Também participaram as ex-secretárias executivas da CNRM, Rosana Leite de Melo e Maria do Patrocínio Tenório Nunes e o representante da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), Francisco de Assis Romeiro Coelho. A moderação foi feita pelo Prof. Mário Scheffer, do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP, responsável pela organização, ao lado da Profa. Vera Koch, coordenadora geral da Comissão de Residência Médica (COREME) da FMUSP e do Prof. Luiz Koiti Kimura, coordenador administrativo da COREME. O vice-diretor da FMUSP, Prof. Roger Chammas, fez a abertura do evento, que teve a coordenação geral do diretor da FMUSP, Prof. Tarcisio Eloy Pessoa de Barros Filho.